Domingo, 24 de Maio de 2009
3.9. Cinema de Terror/Suspense

O género de terror/suspense, engloba todos aqueles filmes que têm como objectivo fazer ficção de algo misterioso e sombrio, para que seja induzido um efeito de medo, ânsia e choque no espectador. “O medo é a fonte dos filmes de terror (…)” (por Georges Sadoul in História do Cinema Mundial).
Os filmes de terror tendem a utilizar argumentos mórbidos e sinistros “ (…) como uma galeria de arquétipos que veio a simbolizar, em diferentes graus, como uma gama de emoções que ocorre entre a morte e a dor.” (por Georges Sadoul in História do Cinema Mundial). Normalmente, este género cinematográfico utilizava, nas suas criações, o romance e todo o simbolismo que este representava.
Este género cinematográfico foi reforçado pelo expressionismo alemão, atingindo um elevado grau de “maturidade” com a chegada da produtora Universal. Mais tarde surgem outras produtoras como a Hammer y New World Pictures que mudaram gradualmente o cinema de Horror.

"À hora de mencionar títulos do cinema de horror (…), o Expressionismo alemão deu origem a filmes clássicos, inspirados pelo estilo do estudante de Praga (1913) de Stellan Rye, O Gabinete do Dr. Caligari (Das Kabinett des Dr. Caligari, 1919), de Robert Wiener, O Golem (Der Golem, 1920) de Karl Boese e Paul Wegener, e Nosferatu, o Vampiro (Nosferatu, Eine Sumphonie des Grauens, 1922, ue mostramos na íntegra), F. W. Murnau.” (in Terror Cinema, Pedro Santos, Juan Andres «traduzido»)

Esta mudança é caracterizada pelo desaparecimento cada vez mais acentuado do romance, dando lugar ao horror sangrento e exagerado dos filmes, cujo objectivo principal é mostrar a violência explícita através de efeitos de maquilhagem. É neste sentido que surgem os serial killers e a mulher assume um papel importante neste género cinematográfico.
Os filmes de Terror/horror passam a ser encarados de outra forma, a sensualidade, o erotismo e a figura feminina passam a ser imprescindíveis neste tipo de produção cinematográfica. A Nightmare on Elm Street (1984) é uma referência dos filmes de Terror, que serve ainda para os dias de hoje como inspiração “O mestre do horror moderno” (in Seattle Times).
“Com a participação de John Saxon e Johnny Deep, no seu primeiro papel, este clássico do terror criou uma das mais terríveis personagens da história cinematográfica, Freddy Krueger. Wes Craven deu origem a um ser das profundezas do inferno que chega ao verdadeiro coração do terror (in Seattle Times). Nesta produção a mulher aparece como uma peça fundamental do filme. Heather Langenkamp, Nancy Thompson em A Nightmare on Elm Street, assume o papel de heroína.
A Mulher nos filmes de terror representa os dois lados: a predadora e a vítima. Quando uma Mulher tem o papel de vítima num filme de terror, o que nos transmite é uma fraqueza emocional e que se deixa facilmente abalar, ou seja, entra logo em pânico, pois não consegue esconder o seu medo.
    Por outro lado, assim que a Mulher assume a “liderança” num filme de terror e é escolhida para representar o papel de “predadora” fá-lo na perfeição. O Exorcista (1973) é talvez o filme mais conhecido de terror, que desde sempre tem sofrido evoluções, melhoramentos e outras actrizes que fazem o papel da “menina possuída pelo demónio”.
 

 



publicado por Área de Projecto às 15:00
link do post | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Maio 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

25
26
27
28
29
30



posts recentes

...

1. Breve História da Mulh...

1.1. Primórdios, Primeira...

2. A Mulher no Cinema Mun...

2.1. A Mulher no Cinema A...

2.2. A Mulher no Cinema F...

2.3. A mulher no Cinema A...

2.4. A Mulher no Cinema I...

2.5. A Mulher no Cinema E...

2.6. A Mulher no Cinema S...

arquivos

Maio 2009

Trabalho realizado por:
Catarina Viana, Irina Pedroso, Joana Alves e Sarah Saint-Maxent
Coordenadas pela
Professora Cecília Cunha
subscrever feeds