Domingo, 24 de Maio de 2009
3.8. Cinema Sociopolítico

O cinema sociopolítico ramifica-se em várias vertentes: a censura, a propaganda (ligada a política/campanhas eleitorais) e a crítica reprovadora de alguns comportamentos sociais ou regimes políticos.
Podemos afirmar que o género cinematográfico documental está ligado ao sociopolítico, devido à enorme quantidade de obras cinematográficas reproduzidas que ligam estes dois géneros. Podemos observar esse mesmo exemplo no filme Olympia 1. Teil – Fest der Völker, com direcção de Leni Riefenstahl. (que pode ser visto inegralmente mais acima, quando falamos de cinema alemão) Este filme tem como identificação o género documental, “Há muita discussão se este filme deve ser considerado um filme de propaganda política para o Partido Nazista, como o seu Triunfo da Vontade (tal como no caso anterior, disponibilizámos no blog o filme completo, mais acima), que inquestionavelmente é.” (Lauro António in Cinema e Censura em Portugal).

"É rigorosamente interdita a exibição de fitas perniciosas para a educação do povo, de incitamento ao crime, atentatórias da moral e do regime político e social vigorantes e designadamente as que apresentam cenas em que se contenha: Maus tratos a mulheres; Torturas a homens e animais; (…) Personagens nuas; Bailes lascivos; Roubo com arrombamento ou violação de domicílio, em que, pelos pormenores apresentados, se possa avaliar dos meios empregados para cometer tal delito; (…)”(Lauro António in Cinema e Censura em Portugal ). Este excerto que acabamos de ler é um caso nítido de censura, é por suposto em Portugal, mas poderia ser em qualquer outro país que praticasse/tivesse um tipo de regime semelhante.
Como consequência das vertentes anteriores surge a crítica: feita muitas vezes através do género documental, é utilizada para reprimir os regimes fascistas, a escravatura, por outras palavras, tudo o que se achava estar errado. A Man of a Certain Glory é um filme que se refere ao atraso dos africanos e á terrível escravatura a que estavam submetidos, recorrendo frequentemente ao tratamento de problemas raciais. Der 20 Juli’ “pretende focar um facto histórico – o atentado de 20 Julho contra Hitler, - e fá-lo de forma objectiva (…)” (Coordenação de Luís Reis Torgal in O Cinema sob o olhar de Salazar). Este género de obras cinematográficas é muito frequente neste género cinematográfico, era essencialmente utilizado durante os regimes fascista, pois era uma maneira de exprimir o que não podiam dizer directamente.
Posto isto, podemos concluir que, neste género, o papel da mulher tem mais que ver com a realização e produção de obras do que propriamente com uma imagem projectada. Isto é, também, reflexo da evolução da própria sociedade e da abertura de cargos tradicionalmente masculinos às mulheres.
 

 



publicado por Área de Projecto às 15:15
link do post | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Maio 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

25
26
27
28
29
30



posts recentes

...

1. Breve História da Mulh...

1.1. Primórdios, Primeira...

2. A Mulher no Cinema Mun...

2.1. A Mulher no Cinema A...

2.2. A Mulher no Cinema F...

2.3. A mulher no Cinema A...

2.4. A Mulher no Cinema I...

2.5. A Mulher no Cinema E...

2.6. A Mulher no Cinema S...

arquivos

Maio 2009

Trabalho realizado por:
Catarina Viana, Irina Pedroso, Joana Alves e Sarah Saint-Maxent
Coordenadas pela
Professora Cecília Cunha
subscrever feeds